21 de nov de 2010

Ta no ENART ta no MUNDO!!

Ta no ENART ta no "mundo", essa foi a frase utilizada por Rogério Bastos, Elomir Malta e demais responsáveis por levar as imagens da TV ENART até os nossos ranchos.

Bueno, como nos anos anteriores eu já estava de malas prontas para partir rumo a Santa Cruz, eu (Paraná) e meu amigo Douglas Neves (Uruguaiana), declamador classificado para a fase final deste ano, porém, um contra tempo nos tirou o brilho dos olhos e nosso ENART não seria o mesmo, na verdade seria uma porcaria.

Mas que tristeza que eu estava, dos males o menor é verdade, mas deixar de ir pra 1 ENART já é coisa bastante, só sabe quem acampa todo ano naquele parque e mal e mal dorme durante uns 3 dias.

Então chegou o dia, sexta-feira dia 19 de novembro, eram umas 18:00, resolvi acessar a tal TV ENART, logo me cobri de tristeza, indignação, oras, ano passado eu estava lá e ainda estava sentado naquela mesa de abertura...

Foi bem assim, pelo MSN comecei a conversar com meu amigo e assistir um e outro e depois mais outro grupo de danças e ver que não estava tudo perdido..

Sábado acompanhei todas as declamações e alguns interpretes, chula e conversando adentramos a madrugada, eram mais de 3 horas da manhã quando acabaram as declamações e o sono bateu...

Domingo (hoje), pouco depois das 9:00 já estava de olho nas declamações, e que coisa mais linda, ô gurizada buena, que nível tchê.. Mais um pouco de danças tradicionais, belas entradas e saídas e o presente aos olhos dos espectadores e melhor ainda, visto de um ângulo inédito, que maravilha essa integração, muito capricho..

Agora são passadas 20:00, ou 8 da noite mesmo, os resultados estão sendo anunciados e as expectativas são grandes, não somente nos corações dos competidores, dos artistas e também não somente aos olhos do público que lota as arquibancadas do ginásio principal, mas sim aos olhos do mundo...

Ta no ENART ta no 'mundo', não é uma simples frase, hoje fazer parte do ENART não é reservado aos que podem estar no RS, não é só para quem pode acampar em Santa Cruz, hoje e a cada edição o ENART faz parte de uma programação disponível ao mundo, e ainda tem quem diga que essa tal de Internet é ruim...

Tchê, acompanhar o festival deste ângulo foi uma baita experiência, coisa que não tinha visto em anos de parque, pude assistir na integra e ainda sem cansar tanto.. comi bem menos do que se estivesse no parque.. dormi menos talvez, mas aproveitei bastante..

Claro, não existe melhor sensação que estar com os amigos, que vivenciar a magia de mais um ENART em Santa Cruz.

19 de nov de 2010

25 Anos de ENART


Bodas de Prata para o nosso querido ENART.

Neste ano de 2010, quando se completa o 25º aniversário deste grande festival o "MUNDO" inteiro poderá acompanhar o desenvolvimento das apresentações artísticas.

Se você é um apaixonado(a) pelo ENART e assim como eu por um motivo ou outro não pode ir até Santa Cruz este ano, então fique ligado na TV ENART.

Acesse o site: http://www.enart.org/ e confira todos os momentos do evento ao vivo.

30 de out de 2010

Ditados Gaúchos

* Quieto no canto como guri cagado
* Mais ligado que rádio de preso
* Mais curto que coice de porco
* Firme que nem prego em polenta
* Mais nojento que mocotó de ontem
* Saracoteando mais que bolacha em boca de véia
* Solto que nem peido em bombacha
* Mais curto que estribo de anão
* Mais pesado que sono de surdo
* Calmo que nem água de poço
* Mais amontoado que uva em cacho
* Mais perdido que cego em tiroteio
* Mais perdido que cachorro em dia de mudança
* Mais perdido do que cusco em procissão
* Mais faceiro que guri de bombacha nova
* Mais assustado que véia em canoa
* Mais angustiado que barata de ponta-cabeça
* Mais por fora que quarto de empregada
* Mais por fora que surdo em bingo
* Mais sofrido que joelho de freira em semana Santa
* Feliz que nem lambari de sanga
* Mais ansioso que anão em comício
* Mais apertado que bombacha de fresco
* Mais apressado que cavalo de carteiro
* Mais arisca do que china que não quer dar
* Mais atirado que alpargata em cancha de bocha
* Mais baixo que vôo de marreca choca
* Mais bonita que laranja de amostra
* De boca aberta que nem burro que comeu urtiga
* Mais chato que gilete caída em chão de banheiro
* Mais caro que argentina nova na zona
* Mais cheio que corvo em carniça de vaca atolada
* Mais constrangido que padre em puteiro
* Mais conhecido que parteira de campanha
* Mais comprido que puteada de gago
* Mais comprido que cuspe de bêbado
* Mais coxuda que leitoa em engorde
* Devagarzito como enterro de viúva rica
* Mais difícil que nadar de poncho
* Mais duro que salame de colônia
* Mais encolhido que tripa na brasa
* Extraviado que nem chinelo de bêbado
* Mais faceiro que mosca em tampa de xarope
* Mais faceiro que ganso novo em taipa de açude
* Mais faceiro que pica-pau em tronqueira
* Mais feliz que puta em dia de pagamento de quartel
* Mais feio que briga de foice no escuro
* Mais feio que sapato de padre
* Mais feio que paraguaio baleado
* Mais feio que indigestão de torresmo
* Mais firme que palanque em banhado
* Mais por fora que cotovelo de caminhoneiro
* Mais gasto que fundilho de tropeiro
* Mais gostoso que beijo de prima
* Mais grosso que dedo destroncado
* Mais grosso que rolha de poço
* Mais grosso que parafuso de patrola
* Mais informado que gerente de funerária
* Mais medroso que cascudo atravessando galinheiro
* Mais nervoso que potro com mosca no ouvido
* Quente que nem frigideira sem cabo
* Mais sério que defunto
* Mais sujo que pau de galinheiro
* Tranqüilo que nem cozinheiro de hospício
* Tranqüilo que nem água de poço
* Bobagem é espirrar na farofa
* Mais gorduroso que telefone de açougueiro
* Mais perdido que cebola em salada de frutas
* Mais feliz que gordo de camiseta
* Mais chato que chinelo de gordo

Fonte: Não Identificada

Receitas Campeiras

ROUPA VELHA

• Tempo de preparo: 1 hora
• Ingredientes l/2 kg de charque 2 colheres de sopa de
óleo 1 cebola média picada 1/2 xícara de farinha de
mandioca tempero verde à vontade manjerona 2 dentes
de alho sal e pimenta a gosto
• Modo de preparar Carne ou charque (se for charque,
deve-se tirar bem o sal). Corte em pedaços, coloque óleo
em uma panela média e acrescente todos os temperos
picados. Refogue-os até que desman chem. Retire do
fogo, coloque a panela em cima de um lugar firme e
com o socador de feijão, ou no pilão, acrescente a
farinha de mandioca e bata com a mão de pilão até
desfiar toda a carne. Depois de fria, conserve em lugar
fresco. Dura mais ou menos 10 dias. Serve de aperitivo,
com café ou chimarrão, ou para a guarnição de pratos
variados.

COLA GAITA

• Para 5 pessoas
• Ingredientes 1/2kg de espinhado de ovelha 1 kg de
aipim 2 cebolas 4 dentes de alho 2 xícaras de farinha
de mandioca 2 pimentas verdes Farinha de mandioca
• Modo de preparar Fritar as chuletas do espinhaço já
salgadas. Picar bem as cebolas e o alho e colocar para
fritar junto ao espinhaço. Se o aipim for muito duro,
cozinhar à parte. Cortar o aipim em pedaços médios e
juntar ao resto, colocando 2 dedos de água quente e a
pimenta picada. Corrigir o sal. Quando o aipim estiver
cozido, colocar mais um pouco de água e ir mexendo
devagar, quando for colocando a farinha de mandioca,
até ficar num ponto médio de pirão.

ESPINHAÇO ENSOPADO COM BATATA

• Para 5 pessoas
• Ingredientes 1 1/2kg de espinhaço de ovelha 1 kg de
batata inglesa 2 cebolas 4 dentes de alho 4 tomates 1
pimenta verde folhas de manjerona
• Modo de preparar Salgar as chuletas do espinhaço e
colocar a fritar. Picar bem a cebola, o alho, os tomates
e a pimenta e juntar às chuletas, depois de bem fritas.
Quando estiver no ponto, colocar as batatas cortadas ao
meio e pôr 2 dedos de água quente. Corrigir o sal,
deixando meio salgadinho (a batata retira muito).

Paixão - Patrono da 56ª Feira do Livro de POA

Foi em clima de muita emoção que ocorreu a abertura da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em um discurso comovido, o patrono Paixão Côrtes fez o elogio da cultura como elemento plural de integração e diálogo.


— A Cultura é orelhana. Não tem cor de pêlo, nem sinal —definiu, utilizando o linguajar campeiro que foi a tônica de seu dircurso.


O patrono da feira anterior, Carlos Urbim, recuperou em sua fala parte da história familiar de Paixão Côrtes — ambos são nascidos em Santana do Livramento e tem laços de parentesco por parte dos "Ávila do Cerro Chato" como nomeou Urbim.


Ao fim da solenidade, o Patrono e o xerife Júlio La Porta percorreram a praça alternando entre os sons da tradicional sineta de La Porta e uma matraca de madeira brandida por Paixão (o instrumento é tradicional nas festas campeiras do Interior).