24 de set de 2010

Receitas Campeiras

ARROZ DE CARRETEIRO

• Ingredientes: 1/2 kg de charque 1/2 kg de arroz 1
cebola 3 dentes de alho.
• A preparação: Aferventar o charque, trocando uma
vez a água. Se o charque for caseiro, basta deixar 5
horas de molho. Picar o charque em guisado médio e
colocar na panela para fritar. Se o charque for gordo,
colocar menos gordura. Esmagar o alho e picar
juntamente com a cebola. Quando o charque estiver
bem dourado, colocar a cebola e o alho picados para
fritarem. Juntar o arroz e deixá-lo fritando um pouco.
Colocar água fervendo até dois dedos acima do arroz.
Provar o sal e cozinhar em fogo baixo.

ARROZ A ESQUILADOR

• Ingredientes 1 kg de espinhaço ou costela de ovelha 1
xícara de arroz 1 colher de sal 1 raminho de
mangerona 1 dente de alho 2 colheres de óleo 1 cebola
1 colherinha de colorau (também chamado de
vermelhão) pimenta do reino pimenta vermelha
•Modo de preparar Lave o espinhaço, que já deve estar
cortado em pedaços pequenos. Amasse numa tábua o
sal, o alho e as pimentas, formando uma pasta.
Esfregue em toda a carne. Ponha o óleo numa panela a
esquentar e junte a carne. Tampe a panela e deixe
dourar um pouco, mexendo para não queimar. Quando
estiver dourada, junte a mangerona e, aos poucos, 1
1/2 xícara de água para que cozinhe a carne.
Dependendo da ovelha leva de 30 a 40 minutos, mais
ou menos. Depois de cozida a carne, refogue a cebola
picada. Frite o arroz, mexendo para não pegar, e
acrescente duas xícaras de água fervente. Mexa bem e
revise os temperos. Se quiser dar mais cor, acrescente o
colorau, ainda que a fritura de carne já dê um
dourado bonito. Deixe cozinhar por cinco minutos em
fogo forte e depois passe para fogo brando, até secar.
Querendo o arroz mais molhadinho, acrescente um
pouco de água e mexa de vez em quando. Ao lavar o
espinhaço é importante retirar um fio branco que está
junto ao osso, póis caso contrário fica um gosto
desagradável na carne.

3ª Interregional - Frederico Westphalen

Balaio Solidário!

Vem tchê... mostra o quanto tu és importante pra nossa causa!!!
Ajuda teus irmãos nessa peleia diária contra a fome e o minuano!
Doe agasalhos, cobertores, calçados, alimentos não perecíveis...
Procure nas Interregionais o Balaio e faça a sua doação!
Com esta iniciativa, fazes a marcha tradicionalista prosseguir!
O Rio Grande agradece!
Este é um projeto das Prendas e Peões do Rio Grande do Sul 2010/2011

PARTICIPEM!!

Mais informações: www.mtg.org.br/enart




22 de set de 2010

Como era chamado Honório Lemes

HISTORIA DO RIO GRANDE DO SUL
Por Manoelito Carlos Savaris
TU SABIAS?

Tu sabias como era chamado Honório Lemes?

A ele é atribuída a frase: “Quero leis que governem homens e não homens que governem leis”. Honório Lemes da Silva nasceu no dia 23 de setembro de 1864 em Cachoeira do Sul. Foi criado no distrito de Barro Vermelho. Aos 12 anos foi morar em Rosário do Sul.


Cresceu ouvindo histórias sobre revoluções e citações de nomes como o de Gaspar Silveira Martins. De estatura mediana, tinha traços mestiços e fala estropiada. Foi tropeiro. Pai de cinco filhos, todos eles combatentes na Revolução de 1923, participou da Revolução federalista, iniciando como oficial subalterno na forca federalista de Manoel Machado, que o haveria de cognominar de “Leão do Caverá”, chegou a coronel.


Realizado o pleito eleitoral de 1922, Borges de Medeiros resultou reeleito Presidente do Estado, pela quinta vez, derrotando “os libertadores” – federalistas remanescentes e republicanos descontentes – formando a Aliança Libertadora comandada por Assis Brasil. Houve fraude eleitoral disseram os partidários de Assis Brasil. A luta armada eclodiu. Os lenços colorados – maragatos – contra os lenços brancos – chimangos (assim denominados os pica-paus, depois da divulgação do poemeto satírico de Ramiro Barcelos, “Antonio Chimango”).


Honório Lemes, maragato convicto, assumiu o comando das forcas rebeldes da Fronteira Sudoeste. Sua primeira ação, partindo da Serra do Caverá, foi invadir Alegrete, o que ocorreu no dia 23 de março de 1923.


De Alegrete, Honório Lemes avançou contra Uruguaiana com 2.000 rebeldes, mas depois de três dias de cerco (3 a 5 de abril de 23), tentando quebrar a resistência comandada pelo Intendente Flores da Cunha, o caudilho desistiu e retrocedeu para Alegrete. Pressionado pelas forcas governistas comandadas por Flores da Cunha, Osvaldo Aranha e do Cel. Claudino Nunes Pereira, o chefe maragato deixou Alegrete e se embrenhou nos labirintos da Serra do Caverá. Ocorreram vários pequenos combates nos dias que se seguiram.


O combate do rio Santa Maria Chico, marcou a morte do mas famoso dos degoladores de 93, conforme escreveu Flores da Cunha: “Entre os rebeldes mortos estava o Cel. Adão Latorre, uruguaio de nascimento e veterano federalista da campanha de 1893, em que se celebrizara tristemente pela degolas do Rio Negro. Apresentava aspectos de avançada idade.”


Depois de varios meses de escaramuças, inclusive com uma marcha até a região missioneira, Honório Lemes reúne-se com os demais comandantes revolucionários em Pedras Altas, município de Pinheiro Machado. Entre os maragatos reunidos para tratar da proposta de pacificação apresentada pelo Marechal Setembrino de Carvalho, enviado ao sul pelo Presidente da Republica, para tentar a pacificação, encontramos: General Menna Barreto, General Estácio Azambuja, General Zeca Neto, Dr. Assis Brasil, Pecuarista Ângelo Pinheiro Machado, General Leonel Rocha, General Felipe Portinho e Coronel Chiquinote Pereira.


Finalmente, no dia 14 de dezembro de 1923, no Castelo de Pedras Altas, residência de Assis Brasil, foi firmada a paz e lavrada uma ata que, a 17, recebia, em solenidade no palácio do governo, a assinatura de Borges de Medeiros.


Vamos encontrar Honório Lemes envolvido na Revolução de 1924, que deu origem à “Coluna Prestes” – movimento de abrangência nacional que pretendia depor o Presidente da Republica, Arthur Bernardes – na qual também se envolveu Zeca Neto. Essa revolta durou pouco e em dezembro de 1924, Honório e Zeca, cada um com pouco mais de 100 combatentes, imigraram para o Uruguai.


Em 1925 o caudilho Tentou nova revolução, mas sem apoio, seu intento durou somente 10 dias e lhe custou a prisão. Ficou preso até 1927, quando foi anistiado.


O “Leão do Caverá”, ou “Tropeiro da Liberdade”, ou “Raposa das Coxilhas”, codinomes pelo qual era conhecido, o lendário federalista Honório Lemes faleceu aos 66 anos de idade, pobre e humildemente, em seu rancho, nas terras da estância do Sr. Bernardino Domingues, em Rosário do Sul, a 30 de setembro de 1930.



Fonte: Pozzobon, Zola Franco. Como dizia Honório Lemos. Porto Alegre: Martins Livreiro, 1997.

17 de set de 2010

O gaúcho sem marcos e divisas


Este flagrante foi colhido em uma avenida de Buenos Aires. Notem que a vestimenta do rapaz é composta de chapéu, "palitó", gravata, bota e bombacha. É uma característica dos gaúchos de uma região da Argentina.

O gaúcho, nos tempos de agora, é um estado de espírito. Deixou de ser aquele personagem nascido na esfera geográfica do Rio Grande do Sul. Cruzou o rio Mampituba e todos os marcos de fronteiras, para espalhar seu tipo genuino no chão que passa a habitar.

Localização de alguns centros de tradições - Mundo a Fora:

C.C.G Bento Gonçalves - Los Angeles-California -EEUU -
Endereço: 4946 Meridian Street - 90042 - Los Angeles-California -EEUU - Telefones: 323 256-6548 259-9818 - URL: www.ranchogaucho.com - email: delazeri@ranchogaucho.com - Patrão / Patroa: Jatir Cosme Delazeri

CTG Recuerdos del Pago - Fundado em 20 de setembro de 2008
Endereço: Calle Olmo, 24-1B, Madrid 28012, - España
Patrão: David Renato Dominguez Carreta

CTG Brasil Tche - Bernadesville -
Endereço: 201, N> Finley - 07024 - Bernadesville - NJ - Telefones: 908 642-7695 - email: vshalit@hotmail.com - Patrão / Patroa: Valeria Shalit

CTG Deserto da Saudade
Israel

CTG INDIO JOSÉ - Santa Rita - Alto Paraná - Paraguai
Endereço: Ruta 6ta - Santa Rita - Alto Paraná - Paraguai

CTG Nova Querência - Fort Lauderdale, FL - EEUU
Endereço: 920 NW First St. 33308 - Fort Lauderdale, FL - EEUU - FL - Telefones: 954 296-3935 - URL: www.jornalgazeta.com - email: allbrazil@aol.com - Patrão / Patroa: Zigomar Voelva - Valeni Santos

CTG Pedro Álvares Cabral - Lisboa-Portugal
Endereço: Av. Visconde de Valmor 73 - 2a - 1050-239 - Lisboa-Portugal - Telefones: 351 96 589 150 - email: tuliomachado@clix.pt

CTG Querência do Norte - Mississaoga, ON L5N2G1 - Canadá
Endereço: 2690 Brasilia Circle - Mississaoga, ON L5N2G1 - Canadá - Telefones: 905 821-6811 - email: meddonto@yahoo.com Patrão / Patroa: Paulo Garcia

CTG Rancho Rio Grande - Perris
Endereço: 19906 Santa Rosa Mine Rd - 92570 - Perris - CA - Telefones: 951 940-0648 909 322-9 - email: isacjaideter@aol.com - Patrão / Patroa: Isac Ribeiro

CTG Saudade da Minha Terra - Chester
Endereço: 12 Valley PL - 07930 - Chester - NJ - Telefones: 908 507-8608 - URL: www.ctgnj.com - email: rosalia44@aol.com - Patrão / Patroa: Adelino Perin

CTG União de Ideais - Paris-França
Endereço: Maison du Brésil - - Paris-França - Patrão / Patroa: Evaldo Becker

Núcleo Tradicionalista Gaúcho de Danbury, CT - Brookfield
Endereço: 32 Christian Lane - 06804 - Brookfield - CT - Telefones: 203 775-6028 - email: josesarmento@sbcglobal.net - Patrão / Patroa: José Sarmento

Nasce então Uruguaiana...

Poucas cidades no Estado devem seu surgimento aos farroupilhas quanto Uruguaiana. Numa época em que a ocupação da região não passava de algumas fazendas espalhadas pelas grandes extensões de terra, coube ao farroupilha e ministro da Fazenda do governo de Bento Gonçalves, Domingos José de Almeida, a idéia de fundar um povoado estratégico na fronteira com a Argentina.

Ao examinar o local para a instalação do novo povoado, Domingos José de Almeida escreveu, em 1841: "Oferece uma excelente posição militar que para o futuro poderá fazer grande peso na balança política e comercial com nossos vizinhos." Nascido em Diamantina, Minas Gerais, em 1797, Almeida migrou para o Estado ainda jovem, com 22 anos de idade, para conduzir tropas de mula a serem vendidas no centro do país.

Encantado com a terra e a gente do Sul, o mineiro resolveu se instalar na cidade de Pelotas, onde logo abriu um escritório destinado à venda de charque para o centro do país e para o Exterior. Poucos anos depois, tornou-se proprietário de uma pequena charqueada às margens do rio São Gonçalo, o que fez dele um dos cidadãos mais prósperos de Pelotas nessa atividade.

O professor Vanderlei Rodrigues comenta que um dos traços mais característicos de Almeida era sua convicção liberal. "Almeida acompanhava todos os movimentos de cunho liberalista que ocorriam no Brasil", explica o professor. Em 1822, tirou dinheiro do próprio bolso e custeou uma manifestação pública em Pelotas para comemorar a Independência do Brasil.

Além de liberal, Almeida era homem preocupado com a escolaridade da população. Enquanto deputado na Assembléia Provincial, em Pelotas, lançou a campanha de alfabetização da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul. O então deputado inconformava-se com o fato de o Paraguai contar com 408 escolas públicas e a província local não ter nenhuma.

Estátua para o homem das carretas
Começa a Revolução Farroupilha e Domingos de Almeida recebe uma tarefa dos amigos: organizar, além do parque bélico farrapo, na cidade de Pelotas, a fábrica de arreamento para a cavalaria. Os exércitos de deslocavam (Piratini, Caçapava, Alegrete), e ele movimentava os arquivos do governo e o seu arsenal pela Campanha gaúcha sempre em carretas.

"Por isso a revolução era chamada de República das Carretas", diz o professor Vanderlei Rodrigues. Em 1840, diante do cerco das milícias imperiais aos farrapos, Almeida determina a criação de uma planta para a nova povoação que viria a ser Uruguaiana. Como ministro da Fazenda da República Riograndense, queria uma vila de apoio ao comércio com Buenos Aires. As forças imperiais haviam conquistado as cidades de Pelotas, Rio Grande e Porto Alegre, cortando o intercâmbio comercial desses entrepostos com o interior da Província.

Em 1846, Uruguaiana é fundada. Almeida morreu aos 74 anos, em 1859, em Pelotas. Uruguaiana retribuiu seus gestos com uma estátua em praça pública.